domingo, 26 de maio de 2013

O lobo e seu simbolismo mágico


Para os nativos americanos, o lobo é um símbolo espiritual poderoso. Eles são considerados como professores "descobridores de trilhas". A estrela do lobo era vermelha , uma cor estimada, associada com o lobo por todas as tribos. Também conhecida como Sírius, ela é a estrela mais brilhante no céu do norte. A via láctea era o caminho do lobo - a rota para o paraíso. Com o tempo, o lobo também tornou-se associado dentre as quatro estações com o verão, entre as árvores com o salgueiro, e entre as grandes forças naturais com as nuvens.

        Os índios respeitavam a bravura do lobo como caçador, sua determinação, e a maneira como ele se movia silenciosamente pela paisagem. Eles ficavam emocionados com seu uivo, o qual eles algumas vezes consideravam como uma conversa com o mundo espiritual. O lobo aparece em muitas lendas como um mensageiro, um viajante de longa distância e um guia para qualquer um que esteja buscando o mundo espiritual. Ele era o presságio de novas idéias que retornavam ao clã para ensinar e compartilhar a medicina.
       O lobo é o grande professor. O lobo é o sábio, que após muitos invernos no caminho sagrado e buscando os caminhos da sabedoria, retorna para compartilhar seu conhecimento com a tribo. O lobo é tanto o radical quanto o tradicional na mesma respiração. Quando um lobo caminhar até você, você se lembrará.
Os mais velhos nos contam estórias sobre nosso início e de um tempo quando o ser humano apareceu na Terra. Foi o lobo que ensinou aos humanos os caminhos de viver em harmonia. Foi o lobo que nos ensinou como criar a comunidade sobre a Terra, pois os lobos têm um conhecimento intuitivo da ordem no meio do caos e eles possuem a habilidade para sobreviver à mudança, intactos.
      A medicina do lobo é muito antiga e nasceu da experiência da vida. O lobo olhará profundamente dentro de seu coração e compartilhará todo o seu conhecimento, mas exigirá participação total, e sinceridade absoluta.
        Quando um lobo se aproxima de você, a própria presença do lobo reacenderá antigas memórias dentro de sua alma. Através do atrito da experiência você reacende as fogueiras individuais da alma interior e questiona as manifestações da sua própria consciência. Você pode possuir uma coisa somente quando você vier a possuir a experiência emocional dela, e perceber a responsabilidade por sua criação. Então você estará livre para continuar. A medicina do lobo pode fazer você completo.
        Você retornará para o Lobo muitas vezes em sua vida à medida em que você completar e iniciar seus ciclos de experiências e buscar a verdade interior.

fonte:http://sabedoria.indigena.tripod.com/animais_sagrados.htm








       Com a fama de mau perseguindo-o durante a Idade Média, os lobos foram caçados e mortos, até beirarem a extinção. Em várias culturas, eles eram ligados à bruxaria e acreditava-se que bruxas podiam se transformar em lobos. Da mesma forma, em alguns lugares, acreditavam que vampiros podiam assumir a forma lupina.
     O lado negativo do lobo assombrou mentalidades da antiguidade. Na mitologia greco-latina, a loba de Mormoliceu, ama-de-leite de Aqueronte, era usada para assustar as crianças. O conto europeu da Chapeuzinho Vermelho também nos deixa o legado de temer o "lobo mau", nos fazendo crer que não há outro lobo, senão o mau. Hades, o senhos dos Infernos, se utiliza de uma capa de pele de lobo. O deus da morte dos etruscos é representado com orelhas de lobo. Nos tempos negros em que se sacrificavam humanos a Zeus por melhores colheitas, o deus assumia a forma lupina. Enquantos os bruxos e bruxas se transformavam em lobos para irem aos Sabás, na Espanha o lobo era conhecido como a montaria dos feiticeiros. Na mitologia nórdica, Fenrir é o lobo gigante, um dos mais implacáveis inimigos dos deuses. Sua corrida é tão poderosa que somente a magia dos anões pode detê-lo (eles se utilizam de uma fita mágica que ninguém pode romper). Na mitologia Egípcia, Anúbis é chamado de Impu, "aquele que tem a forma de um cão selvagem". Em Cinópolis, é venerado como o deus dos infernos. Da mesma forma, os algonquinos (povo indígena do Sul do Canadá) vêem o lobo como uma criatura intermediária entre a natureza divina e humana, senhor do reino dos mortos no Ocidente.
     Para muitos povos, o lobo se tornou assustador por seu papel psicopompo. Psicopompo é como a mitologia antiga chama o condutor das almas dos mortos, título de Hermes, Caronte, Apolo, Orfeu e Anúbis, dentre tantos outros. A morte sempre assustou os homens! Era o sinal de que seu tempo acabou e que ele não fez metade do que deveria ter feito.
...
  O lobo e sua goela negra é o o símbolo do fim, da passagem e dos perigos. Para os peregrinos muçulmanos, ele é um dos obstáculos em seu caminho para Meca, podendo assumir a forma bestial e mostruosa da besta do Apocalipse. Mas será que o lobo é tão mau?
   A verdade é que o lobo representa nossa ligação com a natureza e com a magia. Vivendo na floresta, ele despertava o medo de se cruzar a linha entre o conhecido e o desconhecido, representado tanto pela vida quanto pela morte como pelo físico e espiritual. Não é absurdo que ele tenha sido ligado às feiticeiras e bruxos. É natural que eles acompanhassem sua natureza mágica.
   Apesar do lado ruim do lobo ter sido o que ficou na memória do povo, ele também esteve presente na mitologia como guardião, guerreiro, herói e companheiro, nosso ancestral mítico.
...
   Para a China, a estrela Sírius é o lobo celeste, guardião do Palácio celeste (Ursa Maior). No Japão ele é inocado para guardar locais. O simbolismo da proteção também surge na loba de Rômulo e Remo, que também remete à fecundidade. Na Sibéria, Turquia, Anatólia, a loba é invocada para dar fecundidade às mulheres.
   O lobo traz em si a magia e o desconhecido. Ao mesmo tempo, ele representa o sentido de união. Lobos caçam em grupo e, como os cães, gostam de brincar. São fiéis. Possuem apenas um parceiro por toda a vida. Não uivam para a lua, apenas uivam. Uivam para marca o território, para lamentar uma perda, para pedir ajuda ou simplesmente por diversão. Atualmente, cada vez mais pessoas simpatizam com a figura do lobo. É um efeito colateral da espiritualização da humanidade, que quanto mais se volta para a luz do conhecimento, mais se afasta da escuridão da ignorância.
    O lobo possui a ferocidade quando protege. Por isso é tão temido. Pode realmente ser uma fera assassina se o que ele guarda for ameaçado. Por isso é tão difícil atacar pessoas com esse animal como totem. É um dos melhores guardiões e companheiros que alguém pode ter. Magicamente, ele é o mestre, o professor, o que guarda segredos ancestrais que só compartilhará com os que não tiverem medo.
    Ele é chamado em rituais para ajudar em questões de aprendizado e é o símbolo do amor e do relacionamento harmoniozo. Sua ligação com a lua ajuda no combate ao medo e a síndrome do pânico. Trabalhar com o lobo ajuda a vencer esse medo, a confiar nos instintos e a viver em equilíbrio. Sua ferocidade também é útil quando precisamos lutar contra pensamentos e/ou sentimentos que nos fazem mal (essa é a maior das batalhas, acredite).
    O espírito do lobo nos ajuda a conquistar nosso lugar, a defender nosso espaço. Ele também é um excelente guia e guardião em viagens, sejam terrenas, sejam astrais ou espirituais. Ele é geralmente o animal totem de líderes espirituais, motivadores, professores, instrutores, consultores e pessoas que precisam guiar ou ensinar outras. Ele dá visão criativa, leveza de espírito, ajuda a combater conflitos entre familiares, amigos ou colegas de trabalho. É também o animal da esperteza e do amor romântico, da fidelidade e da habilidade de liderar.

Fonte: Texto retirado do livro Wicca - Animal Totem, o poder do espírito guardião, de Eddie Van Feu, Editora Modus.



Veja também:











Ritual do lobo para um coração partido

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Wordpress Theme by wpthemescreator .
Converted To Blogger Template by Anshul .