sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Magia negra não é tão ruim!

http://wallpaper.ultradownloads.com.br/93959_Papel-de-Parede-Bruxas_800x600.jpg 
     Boa-noite, queridos bruxinhos!
Queria que meu primeiro post desse ano fosse diferente, mas tudo bem. Não faz mal, afinal, só pelo fato de estar aqui mais um ano, postando para vocês, já é algo maravilhoso! :)
   
     Eu gostaria de explicar que não sou iniciada, não sou nenhuma sacerdotisa e nem tampouco sigo uma única linha na wicca. Por isso, eu posto de tudo um pouco. Não sou nenhuma expert em magia. Tudo o que sei, aprendi nos livros e/ou com as bruxas da minha família.
     Sim, pertenço a uma família de bruxas, mas não é nada fantástico! As bruxas da minha família estão mais familiarizadas com a magia negra e a Umbanda. Por isso, às vezes, tenho dificuldade em separar a Magia Branca da Magia Negra. Por isso, às vezes, posto alguns feitiços de magia negra. Mas, não precisam se espantar tanto com isso. Afinal, eu não posto nada tão terrível assim. E, mais, alguns de vocês podem até dizer que tais magias interferem no livre arbítrio alheio, mas... O que não interfere? Veja bem, a magia em si, já é uma trapaça porque você a usa para manipular o destino a seu favor. Então, não há muita diferença entre a magia negra e magia branca. Exceto, porque, em uma você faz mal aos seus semelhantes e, noutra, você nunca faria mal a ninguém.

      Enfim, seja como for, toda magia tem seu preço (como em OUAT) e, mesmo uma para ficar bela ou atrair a sorte não sai barato. 
     Na antiga Salem, as pessoas acreditavam que quando você fazia, por exemplo, uma magia para ficar bela, outra pessoa ficava feia. E se você fizesse uma magia para engravidar, outra mulher se tornava estéril. Ou seja, você roubava algo que desejava, de outra pessoa. Os gregos também pensavam de forma semelhante, pois acreditavam que as Moiras (ou tecelãs do destino), quando teciam o destino dos mortais, giravam a Grande Roda... Aqueles que tivessem seus nomes no topo da roda eram os mais afortunados. Já aqueles, cujos nomes estivessem na parte inferior da roda eram os menos favorecidos. E quanto mais em baixo seu nome estivesse, mais miserável e ferrada seria sua vida. No entanto, a roda girava... Poderia levar um tempo (ou muito tempo), mas girava! E isso permitia que certas pessoas "subissem" ou "descessem" na vida. Se considerarmos esse ponto de vista sobre a magia - de que, você rouba algo de alguém quando conquista o que tanto deseja - , a magia é algo ruim. Então, não sejamos hipócritas e nem atiremos pedras nas nossas irmãs sombrias. Ninguém é melhor ou pior que ninguém. A magia é muito antiga e igualmente poderosa. Cada um a usa com sabedoria (ou não) de forma que melhor lhe convenha. 

      Não sou boa nem má. Sou apenas humana, imperfeita. Não me idealizem como uma segunda Eddie Van Feu ou como uma Lily Rose porque eu não tenho a experiência e nem os dons delas. Sei que um dia, chego lá. Mas até lá, não me julguem. Eu apenas compartilho minhas experiências com vocês porque me sinto infeliz sempre que aprendo algo novo e percebo que não há ninguém por perto para que eu possa compartilhar meu conhecimento. Não quero que minha magia morra comigo ou que permaneça adormecida em um grimório empoeirado na estante de meus futuros filhos e netos. Se tem algo que aprendi com Eddie Van Feu é que o conhecimento deve ser compartilhado.

     Não engano ninguém porque não estou numa posição tão elevada que me permita influenciar os outros. Não sou uma sacerdotisa. Por isso, não digam que eu sou farsante! Para eu ser uma farsante, teria de me autointitular  ser algo que não sou. E, por um acaso, eu disse alguma vez que sou algo que eu verdadeiramente não era? Tenho certeza que não! Também, não quero dar golpe em ninguém porque não cobro por meus serviços. Aliás, eu bem que deveria cobrar de minha avó para ler a sorte dela porque ela me enche o saco com isso. :p

     Ainda não decidi qual caminho seguir na magia e enquanto escolho, provarei um pouco dos dois... Das sombras e da Luz. Não prejudicarei a ninguém com minhas escolhas, pois tenho plena noção de certo e errado, de bom e mau. Se algum dia, eu decidir, vocês serão os primeiros a saberem. E, mesmo, que eu escolha ser má, não serei de todo porque tenho uma alma de "docete". Pode não parecer, porque, na maioria da vezes, eu sou rabugenta como o Pato Donald, mas... Acreditem. É justamente por eu ser tão sensível que me irrito fácil. E é mais fácil gritar que chorar. Sei que não deveria me expressar assim e que magoo muito as pessoas ao meu redor, mas o que posso fazer? Se eu chorar, parecerei fraca e não quero que ninguém pense que sou fraca. As pessoas contam comigo, as pessoas me idealizam, esperam que eu seja legal e que as ajude sempre. Não posso desapontá-las. Nunca. Tudo isso pesa muito. Minha família mesmo, espera coisas de mim que eu nunca poderei fazer. 
    
       A magia negra em si, é composta de feitiços e rituais usados com propósitos egoístas. Ou seja; feitiços de amarração ou em benefício próprio são uma forma de magia negra. 
       Muitas pessoas interpretam mal o significado de Magia Negra. Logo, pensam que isso se resume a sacrifícios de sangue, pactos demoníacos e outras coisas absurdas. Mas eu digo, magia negra não é nada disso. Óbvio que algumas pessoas com mentalidade atrasada imaginam e praticam essa forma barbárie e surreal de "magia". No entanto, nem mesmo os satanistas praticam tais coisas.
      Os satanistas não acreditam em Deus e sequer no próprio demônio. Isso parece loucura, mas, eles são "selvagens". Acreditam que são seus próprios deuses e demônios. Ou seja, eles fazem o que querem e não reprimem o que a Igreja chama de pecado. Ah, eles também são do tipo que te dão dois socos se você der um primeiro. Ao contrário dos bonzinhos que sempre oferecem a outra face.
     Outra coisa que gostaria de esclarecer aqui é que as bruxas da minha família não são satânicas. Aliás, vocês sabiam que muitos wiccanos não acreditam em demônios? Pois é! 
    Eu pretendo falar mais sobre as várias formas de magia negra em outros posts para que vocês compreendam melhor e não fiquem confusos, porque imagino que estejam. 
     Por hora, vocês só tem que saber que a magia não é como nos filmes, nem a magia branca e nem a magia negra. Hollywood gosta de exagerar! Na vida real, é tudo tão mais simples... Não não há nada a se temer. Tudo bem se você ainda se sente inseguro na hora de praticar magia, se acha que é pecado e tal. Acredite, também já fui assim. Enfim, não precisa praticar magia para entendê-la por absoluto. Pode-se estudar sobre ela, mas chega uma hora em que a tentação sempre fala mais alto. Imagine se você mora perto de um rio ou tem uma piscina em casa. Você sempre passa por ela, para e a admira. Vê os outros nadando e se divertindo. Inclusive, só de olhar, você tem certeza de que conseguirá nadar... Você não tentaria nenhuma vez? A magia é o mesmo. Você não conseguirá apenas estudar sobre ela. Conforme, avançar em seus estudos, irá querer senti-la. E da magia branca para a magia negra basta um pulo. 
     Antes, eu era louca para ter uma deusa como protetora, conselheira e mestra suprema. Tentei contatar diversas deusas, mas nenhuma parecia atender meu pedido, até que, num ato desesperado, contatei a sombria deusa Hécate. Não tinha certeza se funcionaria e também, temia muito essa deusa. Passado alguns dias, pensei que, talvez, fosse melhor assim, afinal... Hécate pode deixar qualquer um com medo e quem em sã consciência escolheria uma deusa que guarda as portas do inferno, leva as almas dos mortos e aparece nas encruzilhadas com uma matilha de cães negros? O quão demoníaco isso pode parecer para um cristão? Mas, para minha surpresa, Hécate respondeu ao meu chamado. Ela me escolheu... Isso me tocou de uma forma inexplicável. Antigamente, quando eu ia à igreja, as pessoas ficavam falando que foram tocadas por Deus.... Tocadas por Deus, o que aquilo queria dizer? Eu não entendia até ser tocada pela Deusa. Com ela, senti o que não senti com Jeová. Sei que se um cristão ler isso agora vai dizer que estou condenada e tal, mas eu não me importo! Eu nunca trocaria isso por nada no mundo.
       Por Hécate ser uma deusa do submundo, obviamente, sua magia tende a ser mais sombria. Não maligna, mas sombria. 
    Antes de conhecer a deusa, eu morria de medo de escuro e do que se escondia nele. Hoje, graças a ela, eu amo a escuridão. Sério! As pessoas apreciam um belo pôr do sol, mas eu curto ir até o jardim à noite e sorrir para a Lua. 
     Ainda não me apresentei formalmente a Perséfone e Hades (mais adiante, ensinarei vocês a fazer isso), mas em breve, farei isso. É por eles que me sinto atraída pelas artes negras. Se somar a influência de Hécate sobre mim com a influência das deusas celtas Morrigan e Badb, vocês entenderão porque ando diferente.
     A propósito, não sei se já mencionei isso antes, mas todos os deuses podem nos influenciar e dependendo, isso pode ser bom ou ruim. Eu, por exemplo, sou muito nervosa. Quando contato a Badb, fico insuportável e brigona. Você deve estar se perguntando porque então eu a contato, é porque, às vezes, os elfos me enchem tanto que só mesmo uma deusa como Badb para controlá-los. Antes, eu recorria a Uriel, mas irritei muito os anjos. Até com Deus briguei! Não me orgulho disso, mas comecei a me questionar sobre certas coisas, que em outra ocasião, adorarei discutir com vocês. Sabe, trocar uma ideia sobre religião é conflitante, mas bom. 
      Outra coisa, se eu decidir chutar o balde e ficar 100% do mau, a primeira coisa que farei é abrir mão de meus blogs. Criarei um específico para a minha nova visão de religião. Nunca me escondi nas sombras e não é agora que vou começar. Quando abraço uma causa, luto por ela até o fim. Sou uma bruxa convicta e morreria pelo que julgo ser verdade. Por isso, nunca terei vergonha de quem fui, de quem sou e de quem eu possa vir a me tornar a ser. Se eu adorasse o diabo, simplesmente não teria vergonha de dizer isso porque não devo nada a ninguém e não preciso pagar de santa. Não seria por falta de público porque existem pessoas de todos os tipos e, se eu, de repente, passasse para o outro lado, atrairia pessoas na mesma vibração sombria. 
      Espero que tenha ficado bem claro qual a minha posição perante a magia. Por hora, me considero uma wiccana eclética. Mexo com de tudo um pouco. Se isso te incomoda, vou entender se procurar outra guia. Tem milhares de pessoas como eu, algumas sinceras como eu, outras nem tanto. O importante é que você se sinta em "casa". Se sente assim aqui no blog, bem-vindo amigo (a).

4 comentários:

mayra macedo disse...

Perfeita !
Cada vez mais admiro seu trabalho. Te apoiarei em qualquer escolha, mesmo nao nos conecendo pessoalmente ! Rsrs
So nao esqueça de nos avisar hein !! Rs

Daniele Araujo disse...

rsrs
Obrigada, Mayra. :)
pode deixar. Vou avisar sim.
Obrigada pelo carinho e por ter comentado.
Beijo, querida.

ariam araujo disse...

Oi. Sou novo aqui como leitor. Mas ja tenho carinho por vc. Gosto das postagens. Vc posta o q muitos tem medo d conhecer pessoalmente, mas estamos conhecendo atraves d vc. Obg

TZS disse...

Muito explicativo... Sempre tive vontade de tentar magia, algo dentro de mim me diz que é o certo e o errado ao mesmo tempo... Apesar de ser católica, sempre acreditei em tudo, e quando eu digo tudo, é tudo mesmo. Lendas celtas, deuses gregos, na Bíblia... De verdade, nunca me senti muito bem na igreja. Mas minha família iria me matar se soubesse que eu tentei algo como magia, Então meu máximo é ler e estudar tudo o que eu poder. É bem pouco, mas é melhor que nada! Seus blogs são maravilhosos, sempre me ajudando a saciar um pouco essa vontade! Obrigada por escreve-los!!!!!

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Wordpress Theme by wpthemescreator .
Converted To Blogger Template by Anshul .