segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Correspondências dos 4 Elementos


Elemento Ar



Masculino, leve e cerebral.
Tem correspondência com o Leste; Equinócio de Primavera; signos associados são: Gêmeos, Libra e Aquário; amanhecer; Lua Nova; nascimento; juventude; inspiração; escrever; conhecimento; mobilidade; computadores e eletrônicos. Algumas das cores associadas são amarelo ou dourado, e alguns animais que podem ser associados são os insetos e pássaros, especialmente águias e falcões. Wiccanos normalmente usam incensos e penas para representar o Ar em seus rituais.




Elemento Água






É feminino, limpeza e cura.
Tem correspondência com o Oeste; Outono e Equinócio de Outono; os signos astrológicos associados são Câncer, Escorpião e Peixes; entardecer; Lua Cheia; idade adulta; emoções; subconsciente; o outro mundo; transformação (tal como o fogo, mas mais devagar); mistério, compaixão; segredo e o oculto. Algumas das cores associadas são azul e verde; e alguns animais que podem ser associados são o golfinho e os peixes. Em rituais, wiccanos usam água para simbolizar o próprio elemento.


Elemento Fogo



É masculino, quente e energético.
Tem correspondência com o Sul; verão e Solstício de Verão; Os signos astrológicos associados são Áries, Leão e Sagitário; meio-dia; lua gibosa (fase lunar que ocorre entre o quarto crescente e a Lua Cheia); adolescência; impetuosidade; paixão; raiva; criatividade; força; luz e brilho; e transformação. As cores associadas são vermelho e laranja, e alguns animais que podem ser associados são os cavalos e leões. Wiccanos usam fogo para representar o próprio elemento.






Elemento Terra






Feminino, sólido e estável.
Tem correspondência com o Norte; inverno e Solstício de Inverno; os signos astrológicos associados são Touro, Virgem e Capricórnio; meia-noite; o lado escuro da lua; velhice e/ou morte; fertilidade; dinheiro; estabilidade; alicerces; alimento e sustança; e agricultura e jardinagem. Algumas das cores associadas são verde, preto, cinza e marrom, e alguns animais que podem ser associados são o urso e o búfalo. Wiccanos normalmente usam pedras, cristais ou sal para representar a terra em seus rituais.






*Os quatro elementos e as quatro direções, Wicca para iniciantes, por Thea Sabin. Universo dos livros. ISBN 978-85-7930-001-1

Pensamentos de uma bruxa

Hey, bruxinhos (as)? Como vão? Curiosos sobre o que a tia Niele (tá, não tô tão velha assim, ainda estou na casa dos 20, mas é gostoso ser chamada de tia, ainda mais por crianças hihi) anda fazendo? Não? Tá bom então… Mas eu vou falar mesmo assim porque me deu vontade. U.U
    Então, estou lendo livros sobre magia – porque preciso aprimorar meus conhecimentos cada vez mais —, e praticando também, claro. Recentemente, estou fazendo muitos “saquinhos de bruxas”, e tenho me apaixonado por isso. É tão gostoso combinar ervas, costurar saquinhos e depois encantá-los com uma finalidade mágica, também, é prático e fácil de fazer. Qualquer um pode fazer, até você! Não precisa ser um grande bruxo para criar seus saquinhos mágicos, criar amuletos ou talismãs, e é sobre isso que eu estou estudando e praticando, e criando os meus próprios, com finalidade de me conectar mais aos Elementais. Vez ou outra, estou ensinando a fazer alguns nos blogs, então, é só ficar atento. E se você, souber fazer um também, pode me enviar por e-mail, que eu publicarei no blog, com muito prazer. Mas não esqueça de colocar seu nome ou o nome de quem criou o feitiço. Ultimamente, estou sendo cautelosa com esse lance de direitos autorais porque quero dar o exemplo. Claro que, nem tudo o que está na internet dá para saber a real fonte, e alguns textos foram retirados de livros de Domínio Público, mas, se você souber a fonte, não deixe de avisar – não importa que seja de um feitiço que está me enviando por e-mail ou mesmo um post que viu no meu blog -. Quando comecei a postar em meus blogs, eu não tinha muita noção de Direitos Autorais nem nada do tipo, por isso, é possível, que alguns textos postados em meus blogs, não citem o autor original do texto. Sempre que me sobra um tempo, eu dou uma checada e dou os devidos créditos, mas nem sempre posso fazer isso quando não sei a quem pertence tal texto. Por isso, peço a colaboração de vocês. Lembrando que, muitos textos são de minha própria autoria, e a esses, eu sempre atribuo o sinal da copy (©).
    Se como autor, você quiser copiar algum texto meu e postá-lo em seu blog, eu sou a primeira a incentivá-lo – afinal, todo conhecimento deve ser compartilhado —, mas não se esqueça de citar o meu nome no final do meu texto e a URL do meu blog, se não quiser citar a URL, tudo bem, mas não citar o meu nome seria o cúmulo! Qualquer coisa, coloque algo semelhante: “O texto acima foi escrito pela minha amiga Daniele Araújo, autora do blog A Dança Das Fadas”, e pronto. Disse para me citarem como amiga, no caso, de ficarem um tanto constrangidos – normal, acontece -. E, em último caso, a gente sempre pode se tornar amigos mesmo. Rsrs.
    Futuramente – se meus planos saírem como espero —, pretendo criar uma loja física e, também virtual, onde venderei produtos místicos, entre eles, imagens de fadas e outros elementais, cristais, varinhas, e etc. Mas não vai ser agora, porque quero ficar expert em poções e saquinhos mágicos, para vender isso também. Já imaginou comprar um elfo engarrafado? Kkkk. Pois, do que, depender de mim, isso não ficar só na imaginação… Eu só preciso encontrar uma forma de atrair um para uma armadilha, capturá-lo e plim! Eles não gostam de traficar pessoas? Eu vou adorar traficá-los.
    Antes que pensem que estou maluca, eu digo que não estou. Aprisionar espíritos e prendê-los em cristais e garrafas não é uma coisa de hoje. Muitos bruxos faziam e fazem isso. É comum em rituais em que o mago ou a bruxa queira livrar uma pessoa de um elemental obsessivo. Por exemplo, se eu procurar uma bruxa experiente, e explicar minha situação com os elfos, ela pode me livrar deles, prendendo as almas deles, e eles ficarão presos a cristais ou garrafas – ou mesmo em determinadas dimensões – por anos, décadas ou séculos. Só imagino que se eles escaparem, a cobra fuma, viu?!
    Eu estou a ponto de entrar num Coven de verdade, que descobri aqui na minha cidade, porque sei que muitos wiccanos têm preconceito contra os autoiniciados, e eu não quero passar por isso, fora que, quero estudar MUITO, para, um dia, talvez, me tornar uma sacerdotisa. Seria tão bom! Mas eu sei que até lá, vou ter de ralar muito porque ninguém vira sacerdotisa da noite para o dia. Torçam por mim aí, que eu preciso me encaixar num coven. Vai ser um desafio para mim, ter de deixar os Elementais um pouco de lado e me concentrar em outras coisas, como deuses e anjos, ou outras entidades. Sou uma wiccana eclética (pelo menos, me considero) e não fico só numa coisa. Gosto de experimentar várias, mesmo que ultrapassem os limites do que é considerado exclusivo da Wicca. Nada me impede de ir além. Por isso, preciso fazer parte de um coven que tenha esse mesmo pensamento. Caso contrário, vou me sentir como um peixe fora d'água.
    Engraçado, como ultimamente, me sinto mais leve, sem aquele peso nos ombros. Também, estou aprendendo a deixar para lá tudo e todos que me atrasam e me estressam. Finalmente, começo a entender a mensagem que os anjos disseram há dois anos, que eu deveria desapegar, e que não seria fácil. Sabe como eu respondi a eles? Eu fui grosseira. Mandei eles para o inferno!
    Sempre fui muito apegada a pessoas e coisas. Eu pensava que amar era nunca esquecer o outro, era sempre se lembrar dele e que caso eu me esquecesse, não fora um sentimento verdadeiro. Resultado = eu aprendi do jeito mais difícil que as coisas não eram bem assim, que ou você seguia a sua vida, independente do outro, e se abria para o novo, ou, ficava sempre chorando e sofrendo por algo que não podia mais ser, já que não há como voltar no tempo. Persistir no mesmo erro, é errar em dobro, porque você já seguiu por aquela estrada, sabe a que caminho ela te levou. Então, por que insistimos em trilhar o mesmo caminho mais uma vez? Porque somos tolos e românticos, acreditamos que o erro foi nosso, que podemos consertar e que, se dessa vez, formos mais atentos, não cometeremos os mesmos erros. Tolice! Às vezes, não é a gente ou a outra pessoa quem está errando, e sim o próprio caminho quem está errado, porque se o próprio destino não quiser que algo aconteça, não acontecerá e ponto. Se os deuses não quiserem que você fique com uma pessoa, por exemplo, eles podem até matar essa pessoa, porque a morte sim, é certa, e contra ela, não ha nada que se possa fazer. Parece absurdo isso, mas algumas vezes, é assim mesmo que aconteça. Não estou falando para você se sujeitar as grandes desgraças e acreditar que é o destino quem quer que você fique no fundo do poço. Não é nada disso, mas, às vezes, é necessário que você caia para levantar-se mais forte.
    Muitas vezes, senti vontade de cortar os pulsos só para parar de sofrer, mas quando eu lembro disso, eu percebo que se eu tivesse sido fraca e feito essa besteira, não estaria aqui, hoje, escrevendo esse post, e teria perdido muitas coisas, também, não teria conhecido tantas pessoas, que hoje, vivem em meu coração. Eu sou grata por tudo o que tenho e tudo o que sou. Sei que não é muito, mas é o bastante, e eu sou grata por tudo isso. Sou grata também aos meus leitores e admiradores, que sempre leem e comentam o que acham dos meus posts. Também não foi fácil conquistar esse espaço e atrair a atenção de vocês, eu reconheço. Tive de mostrar que os meus blogs não eram só um entre tantos, e que vieram para ficar. Por isso, eu agradeço por todo o carinho. Eu sempre me emociono com as bonitas mensagens que vocês me deixam no Face ou por e-mail. Não pensem que não vejo, porque eu vejo! Verdade que às vezes, me surpreendo com a quantidade de e-mails e brinco: “Ei, gente, não sou a Katy Perry, não”, mas a verdade é que eu amo tudo isso. S2
    Estou selecionando algumas perguntas que recebi pelo Face e por e-mail, também, para desenvolver novos posts para vocês. Pode demorar um pouquinho, já que ando ocupada com alguns projetos pessoais, mas que sai, SAI. :p
    Nossa! E ainda tem um monte de e-mails para responder e não estou nem na metade… Mas eu também chego lá. Só peço paciência. Não precisa enviar mais de uma vez, tá bem? Eu chego já, já na sua questão. Ok? Prometo.
    Não me procurem pelo Hangout do Google porque não sobra mesmo tempo para entrar lá.
    Quanto ao pessoal que me pede Whats, eu não tenho, gente. Sinto muito. Eu sei que parece mentira, mas eu não curto mesmo celular, acho chato e desnecessário. Quer dizer, para quem eu ligaria? Falo com meus amigos pelo chat no Face, ou pessoalmente (os que tenho a honra de conhecer pessoalmente, claro), e também, minha mãe fala tanto no telefone com a minha avó, que eu me irrito só de ver um celular. Não sei... Não gosto mesmo. Talvez, eu seja antiquada ou antiga, mas não gosto. Claro que, um dia, eu vou ter um e vou tentar não deixar guardado no guarda-roupas como eu fazia antes. Porém, é provável que nem exista mais o Sr. Whats. :p

    Ando sensível de uns tempos para cá. De repente, passei a me importar demais com tudo o que se passa a minha volta, com a corrupção, com a injustiça, a desigualdade, as crianças que sofrem abuso, etc. Eu sinto que tenho de fazer algo para mudar isso, mas o chato é que eu não sei por onde começar nem como começar. Entende? Me sinto como uma princesinha que acabou de sair de sua bolha protetora e percebeu que o mundo está um caos, e quer fazer algo a respeito, mas não se sente forte o bastante para fazer qualquer coisa. Isso é angustiante, me faz chorar, às vezes… Tenho até evitado ver o jornal, mas, por incrível que pareça, eu quase sempre me pego, assistindo um, como gente grande. Será que isso é amadurecer? Eu tenho cada vez mais perguntas e nenhuma resposta. É estranho. Por outro lado, comprovei mais uma vez que Eddie estava certa, que quanto maior a Luz, maior a Sombra… Me sinto dividida em duas, com uma face boazinha demais e outra face, perversa demais… E sei que tenho que escolher qual das duas eu quero que faça definitivamente parte de mim. Essa é aquela famosa fase em que muitos bruxos já passaram, em que tiveram de escolher se seguiriam o caminho da luz ou das sombras. Se você ainda não passou por isso, vai passar, tenha certeza. Só escolha com cuidado, pois não sei se dá para mudar de ideia depois…
          As pessoas falam que o mal não existe, que é só um ponto de vista, mas você já ouviu uma pessoa boa falando isso? Claro que não, porque esse é um pensamento egoísta. Se tudo tem dois lados e os dois são bons – de pontos de vista diferentes -, me responda, onde é que está o lado positivo na visão de uma criança violentada, por exemplo? Ou numa velhinha atropelada, ou numa magia negra que fez uma pessoa morrer? Ah, mas fulano era um chato e merecia morrer... Quem lhe deu o direito de decidir quem vive ou morre? Isso quem decide são os deuses, não reles mortais. Muitos de nós estão sendo egoístas e maus, usando a magia em benefício próprio e prejudicando os outros, isso não é bom. Se você é um bruxo, avalie se sua magia não está prejudicando os outros, porque, ultimamente, estamos nos destruindo com tanto ódio e indiferença, e se continuarmos nesse ritmo, vamos todos nos destruir, e olha que não estou exagerando por conta do meu sentimentalismo. É só sair um pouquinho de sua bolha colorida e prestar atenção ao seu redor.
É isso.
Que as deusas iluminem o seu caminho, hoje e sempre, para que use o poder que a ti foi investido, com sabedoria, pensando sempre no próximo que em ti mesmo.
Um beijo.

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Dúvida: Um grimório ou um BOS?


   Esse é o novo quadro do blog. O estou criando agora para responder todas as eventuais dúvidas de meus leitores num só lugar, especialmente, quando eu não puder entrar no Face ou não puder responder aos comentários do blog. É que, vamos dizer, que sou uma pessoinha que vive ferrando o seu limite de internet no sr. You Tube e, depois não pode visualizar as páginas dos blogs e nem entrar no Face. Por isso, se você comentar no blog, pode vir caçar a resposta de seu comentário aqui (isso, se perceber que demorei a responder, ok?), mas só vou me dar ao trabalho de responder comentários que eu considere relevantes porque ultimamente tenho recebido mais comentários e perguntas do que posso responder, são tantas dúvidas que dão vários posts para todas elas. Tenho até me estressado um pouco com isso, especialmente, porque a gente responde três perguntas e o cidadão de Gotham vem e te pergunta mais dez coisas. Isso cansa, especialmente eu que sou nervosinha por natureza. Mas, enfim, não pensem que sou chata, é que tem gente que abusa mesmo da boa fé dos outros, ou talvez, seja só eu que ando em TPM... Não importa. kkkk. Tamô aí qualquer coisa. Falô?
Vamos ao comentário da vez:



Oi, estou começando a estudar agora, não posso praticar os rituais e outras coisas assim no momento (acho que agora só posso me concentrar na parte espiritual, mas eu gostaria de estudar mais a Arte, pois sei que no futuro vou poder praticar. É uma boa ideia começar um BOS agora ou devo esperar e fazer só um grimório?

- Ade Wyse.



   Oi, Ade. O BOS é próprio para relatar as suas experiências mágicas (além dos feitiços e etc, claro), como um "diário mágico", como no momento, você não vai praticar, só estudar, seria melhor que mantivesse só o Grimório mesmo, a menos que pretenda anotar tudo o que aprender no BOS, mas pode fazer isso com o Grimório, que no caso, seria mais apropriado. É isso. Espero ter ajudado. Que as fadas da floresta o acompanhem. Um abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Wordpress Theme by wpthemescreator .
Converted To Blogger Template by Anshul .