sexta-feira, 12 de outubro de 2012

O Sabbath de Halloween


Samhain ( pronuncia-se "Souen") na Roda do ano marca o início da estação da estação da morte, o inverno. A deusa da agricultura cede o seu poder à Terra ao deus cornífero da caça. Os férteis campos do verão cedm lugar às florestas nuas.
 É celebrado no dia 31 de outubro no hemisfério norte e 30 de abril no hemisfério sul. Essa existência existe porque as estações são invertidas de um hemisfério para o outro. Essa data marca o início e o fim do calendário celta ( ano novo). É o sabbath que nos traz os ventos gelados do sul, indicando-nos o caminho da introspecção, época em que a natureza começa a se recolher devido aos rigores climáticos. As sociedades pagãs euroupeias celebravam nessa época, o nascimento da Criança Prometida, ou o deus solar, filho da deusa tríplice, que nascia nessa longa noite simbolizando que no auge da escuridão renascia a semente da luz, que passaria a crescer até que o verão chegasse novamente. A mitologia também dizia que esse deus era filho dele mesmo - um mistério - e que ele seria sacrificado e seu corpo ceifado seria o pão que alimentaria os homens para lhes dar vida.
  A Criança da promessa, o deus solar que cresceria para ser sacrificado em prol de todos, foi chamado Mitra,Cernnunos, Dionísio e outros, dependendo dos povos que descreveram seu mito.
 Este é o mais importante de todos os sabbaths, pois dentro do circulo, marca tanto o fim quanto o início de um novo ano. Nessa noite, o véu entre o nosso mundo e o dos mortos se torna mais tênue, sendo o tempo ideal para nos comunicarmos com os que já partiram, porém as bruxas não fazem rituais para receber mensagens dos mortos e, muito menos, para incorporar espíritos.
 O sentido do halloween é apenas nos sintonizarmos com os que já partiram para lhes enviar mensagens de amor e harmonia.
A noite do Samhain é uma noite de alegria e festa, pois marca o início de um novo período em nossas vidas, sendo comemorado com muito ponche, bolos e doces. A cor do sabbath é o negro, sendo o altar adornado com maçã, o símbolo da vida eterna. O vinho é substituído pela sidra ou pelo suco de maçã. Devemos fazer muitas brincadeiras com dança e música. Os nomes das pessoas que já se foram são queimados no caldeirão, mas nunca com uma conotação de tristeza. No altar e nos quadrantes não devem faltar as tradicionais máscaras de abóboras com velas dentro. Antigamente, as pessoas colocavam essas abóboras na janela para espantar os maus espíritos e os duendes que vagavam pela noite do samhain.






comemorando o Samhain

Deposite sobre o altar maçãs, romãs, abóboras e outros frutos típicos do outono. Flores outonais como madressilva e crisântemos também são indicados. Escreva num pedaço de papel um aspecto de sua vida do qual deseja se livrar, como um sentimento negativo, um hábito ruim ou doenças. O caldeirão deve estar presente no altar. Um pequeno prato com o símbolo da roda de oito aros também tem que estar presente.
Antes do ritual, sente-se em silêncio e pense nos amigos e pessoas amadas que não estão mais entre nós, Não se desespere. Saiba que partiram para coisas melhores. Tenha em mente que o plano físico não é a realidade absoluta, e que a alma jamais morre. Prepare o altar, acenda as velas e o incenso, crie o círculo. Invoque a deusa e o deus. Erga uma das romãs e, com sua recém-lavada faca de cabo branco, perfure a casca da fruta. Remova diversas sementes e coloque-as no prato com o desenho da roda. Erga seu bastão ou varinha, volte-se para o altar e diga:

"Nesta noite de samhain assinalo sua passagem. Ó, rei sol, através do do poente rumo à terra da juventude. Assinalo também a passagem de todos que já partiram, e dos que irão posteriormente. Ó, graciosa deusa, eterna mãe, que dá luz aos caídos, ensina-me a saber que nos momentos de maior escuridão surge a mais intensa luz."

Prove as sementes de romã; parta-as com seus dentes e saborei seu gosto agridoce. Olhe para o símbolo de oito aros no prato; a roda do ano; o ciclo das estações; o fim e o início de toda criação.
Acenda um fogo dentro do caldeirão, pode ser uma vela. Sente-se diante dele, segurando o papel, observando suas chamas. Diga:

"Ó sábia lua, deusa da noite estrelada, criei esse fogo dentro de seu caldeirão para transformar o que vem me atormentando. Que as energias se revertam: Das trevas, luz! Do mal, o bem! Da morte, o nascimento!"

Atei fogo ao papel com as chamas do caldeirão e jogue-o em seu interior. Enquanto queima, saiba que o mal diminui, reduzindo-se e finalmente o abandonando ao ser consumido pelos fogos universais. Se quiser pode se utilizar de métodos para adivinhar o futuro e ver o passado. Tente regressar em vidas passadas se quiser. Mas deixe os mortos em paz. Honre-os com suas memórias, mas não os chame até você. Libere quaisquer dores e sentimentos de perda que possa sentir nas chamas do caldeirão. Trabalhos de magia se necessários, podem ser feitos.Celebre o banquete simples. O circulo está desfeito.


Ervas típicas:


* Maçãs, verbena, abóboras, sálvia, palha, crisântemo, absinto,pera, avelã, romã, grãos, castanhas e milho.

Comidas típicas:


beterrabas,nabos,milho,castanhas,gengibre,cidra,vinho quente e pratos com abóboras e carne.  


A Roda de oito aros

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Wordpress Theme by wpthemescreator .
Converted To Blogger Template by Anshul .